Características da pele do bebé

Pele tão sensível

Os recém-nascidos a termo possuem uma pele madura, cuja estrutura é idêntica à dos bebés e adultos.

No entanto, a pele dos bebés apresenta características que devem ser consideradas na formulação de produtos de higiene e cuidado adaptado aos mais pequenos:

– Na altura do nascimento, o pH da pele é, aproximadamente, 7, o que limita o desenvolvimento da flora bacteriana da pele e faz com que a pele de um recém-nascido seja mais propensa à infeção e irritação.

No dia após o nascimento, o pH torna-se progressivamente mas ácido até cerca de pH 5.5 que é o pH da pele dos adultos.

– A chamada descamação fisiológica da pele afecta 65% dos recém-nascidos.

Esta descamação, ou xerose (secura), desaparece espontaneamente durante as duas primeiras semanas de vida.

– A fina camada hidrolipídica.

Durante a gravidez e primeiros meses de vida, as glândulas sebáceas dos bebés são estimuladas pelas hormonas maternas.

O sebo secretado está envolvido na formação do filme hidrolipidico e como tal, na função barreira e propriedades anti-microbianas.


A diminuição gradual da secreção de sebo durante os próximos meses de vida, limita a formação desta película protetora que não será tão eficaz na proteção da pele contra a secura (devido a um aumento da perda insensível de água).

A pele dos bebés torna-se, assim, mais seca, permeável aos agentes químicos, condições climatéricas e/ou práticas de higiene inadequadas, como o uso de produtos detergentes excessivamente agressivos que removem os lípidos naturais da pele.

A superfície da pele em relação ao peso corporal é 2 a 3 vezes superior nos bebés relativamente aos adultos.

Consequentemente, um produto que passa através da pele será mais concentrado no organismo de um bebé em comparação com o de um adulto, aumentando o risco de toxicidade.
Portanto, é fundamental acalmar a pele seca das crianças e protege-la da agressão, usando produtos de higiene e cuidado não agressivos, que nutram e protejam, não retirando as pequenas quantidades de sebo secretado pela pele dos bebés.

Proteção da pele delicada do bebé, desde o primeiro dia

No banho:

Na higiene diária do bebé dever-se-à optar por produtos sem sabão, com um pH neutro e hipoalergénicos.
A água do banho deve estar entre 35 e 37ºC.
O banho do bebé deve durar apenas alguns minutos.
A hora do banho é também um momento de estímulo e alegria, uma experiência de ligação e cumplicidade entre os pais e o bebé.

Cuidados diários básicos:

Após o banho, a pele do bebé deve ser bem seca, envolvendo-o numa toalha macia. A zona das pregas deverá ficar bem seca, para evitar a irritação.
Aplicar um hidratante hipoalergénico com pH neutro.
Se o bebé tem a pele muito seca, opte por um cuidado apropriado (por exemplo, um produto com uma base Cold Cream, para uma nutrição duradoura).

A massagem é um verdadeiro momento de partilha com o bebé.
O simples toque ou o olhar, são essenciais para um profundo conhecimento e entendimento.
A massagem permite estimular o bebé e ensiná-lo a ter consciência do seu corpo.
São inegáveis as vantagens no alívio das cólicas e relaxamento do bebé.

Dicas para massajar o bebé:

Procurar um local calmo e confortável
A temperatura ambiente deve ser agradável (aprox. 26ºC)
Aquecer o óleo de massagem entre as mãos
Começar por massajar a parte superior (tronco, braços e barriga) e, de seguida pernas e arcos do pé.

Terminar com as costas.

Para o bebé entender que a massagem terminou, passar as mãos sobre o corpo inteiro do bebé, 2 a 3 vezes, da cabeça aos pés.


CROSTA LÁCTEA

crosta láctea” é o termo vulgarmente utilizado para designar uma forma de apresentação de dermite seborreica que atinge o couro cabeludo de recém-nascidos.

Surge cerca de uma semana após o nascimento e é auto-limitada, podendo, no entanto, persistir 3 a 6 meses (daí láctea, porque ocorre no período de aleitamento).

A sua etiopatogénese não está totalmente esclarecida.

Pensa-se que uma levedura presente na flora cutânea tenha uma função patogénica, o que está de acordo com a boa resposta a agentes anti-fúngicos como o cetoconazol ou o sulfureto de selénio.

A composição lipídica do sebo também parece ser um facto importante.

Caracteriza-se pelo aparecimento de escamas e crostas espessas amarelo-alaranjadas inicialmente localizadas às regiões do vértex e da fontanela anterior.

Podem estender-se a todo o couro cabeludo formando uma crosta consistente, aderente e fissurada (daqui o termo crosta).

O tratamento passa pela tranquilização dos pais quanto à benignidade da situação e a sua provável rápida auto-resolução.

Pode contudo, ser aconselhado, para uma maior facilidade na remoção das crostas, a aplicação 30 minutos antes do banho de compressas embebidas em óleo de amêndoas doces ou de emulsões queratolíticas disponíveis no mercado adequadas a este fim.

A lavagem pode ser efetuada com champôs suaves ou contendo na sua composição cetoconazol a 2%.

DERMITE DAS FRALDAS

O termo dermite das fraldas designa uma forma de eczema de contato irritativo que surge na pele em contacto com a fralda.

O seu aparecimento está relacionado com a maceração e fricção provocadas pelo material da fralda em contacto com a pele.

A função de barreira epidérmica protetora fica comprometida, tornando-se mais permeável a substâncias irritativas existentes nas fezes são importantes irritantes cutâneos, sobretudo se o pH ambiente for elevado.

Frequentemente ocorre sobreinfecção por Candida albicans.

A toma de antibióticos e diarreia são factores de risco para o seu desenvolvimento.

O seu inicio ocorre habitualmente entre a 3º e 12º semanas de vida, sendo o pico de prevalência entre os 7 e 12 meses.

Clinicamente caracteriza-se por um eritema, por vezes descamativa, localizado às nádegas, genitais, área púbica e face interna das coxas (isto é, áreas convexas em maior contacto com a fralda), poupando a prega das virilhas.

Quando ocorre sobreinfeção por Candida albicans observam-se pequenas pústulas na margem do eritema.

Quais fraldas usar

É aconselhável o uso de fraldas descartáveis de boa qualidade, particularmente as “super-absorventes” e que contêm uma membrana microporosa “respirável” porque diminuem a maceração cutânea e estão associadas a um valor de pH mais normal.

Mudar a fralda

A mudança de fralda deve ser o mais frequente possível e a área deve ser bem limpa com compressas impregnadas em água ou leite de limpeza suaves, não perfumados e de seguida bem seca de forma cuidadosa, evitando a fricção.

Recomenda-se em cada muda a aplicação de um creme barreira ou pasta de água. O uso de pó talco está totalmente contraindicado.

O uso de corticoides tópicos de baixa potência, durante um curto período é habitualmente necessário, assim como de antifúngicos tópicos em casos de sobreinfecção por Candida albicans.

DERMITE PERIORAL

A dermite perioral caracteriza-se por uma erupção de pápulas eritematosas inflamadas localizadas no mento e áreas nasolabial, tipicamente poupando a margem dos lábios.

A presença de pústulas é rara.

Tem um curso flutuante, com períodos de agravamento e melhoria ao longo de semanas a meses.

A idade de início é variável, dos 7 meses aos 13 anos.

A sua etiopatogénese ainda não se encontra bem estabelecida.

O uso de corticóides, tópicos parece ser um importante factor etiológico: utilizados inicialmente por uma qualquer erupção cutânea, o seu posterior uso regular, ou mesmo uma breve exposição, pode levar ao desenvolvimento da dermatose.

Outros autores defendem que a dermite perioral se deve a uma reação de intolerância cutânea, associada a uma pele constitucionalmente seca e frequentemente acompanhada de uma história de dermite atópica.

A principal medida terapêutica consiste na interrupção da aplicação de corticóides tópicos.

É normal um agravamento com suspensão do corticóide, mas é essencial “resistir à tentação” de voltar a aplica-lo. É normalmente necessário antibioterapia oral (eritromicina ou tetraciclinas).

Casos mais ligeiros podem responder a antibióticos tópicos: eritromicina ou metronidazol.

Uma boa resposta também se obtém com o pimecrolimus tópico que pode ser usado em crianças com mais de dois anos de idade.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo