8 doenças mais comuns nos infantários

As doenças mais comuns nos infantários.

Diz o povo que as mães “ficam com o coração nas mãos” quando deixam os seus filhos nas creches e infantários pela primeira vez.

Esta sensação de aperto no peito, no momento de deixar o bebé na escolinha tem muitas razões: a primeira separação por algumas horas, a sensação de que a criança está a crescer demasiado depressa, o medo de que esta não se integre e, claro, o medo de que o contacto com outras crianças possa surtir efeitos nocivos na saúde e bem-estar da criança.

A verdade é que esta mudança é um importante marco, fundamental para o desenvolvimento físico, cognitivo e intersocial da criança.

Infelizmente, juntamente com todas as vantagens que promove, a ida para o infantário apresenta um inconveniente óbvio e incontornável: o bebé ficará muito mais exposto ao mundo das doenças.

Falar em doenças mais comuns nos infantários, no entanto, não deveria ser alarmante! Todos ficamos doentes, por vezes, e as crianças não são excepção.

Na sua maioria, as doenças que frequentemente se propagam nos infantários são ligeiras e não acarretam problemas de maior.

Na verdade, o próprio contacto com estas doenças poderá ser positivo, se considerarmos a forma como ajuda a desenvolver o sistema imunitário e aumenta a resistência orgânica das crianças.

Neste artigo, é para o mundo das doenças de infantário que iremos olhar.

Selecionámos as oito doenças mais frequentes nas creches, para que saiba quais os males que espreitam à porta destas instituições de ensino.

doenças mais comuns nos infantários

1. Constipação é uma das doenças mais comuns nos infantários

– Esta é uma doença comum e que as crianças tendem a apanhar com bastante facilidade.

Brincadeiras despreocupadas ao frio, à chuva, roupa suada que fica no corpo, mãos por lavar… tudo isto são atos normais para eles que geram, muitas vezes, consequências.

A constipação afeta, por norma, as vias respiratórias mas trata-se de uma infeção mínima que tende a passar celeremente.

Embora, geralmente, não sejam perigosas, as constipações podem agravar-se se a criança sofrer de doenças como asma ou bronquite.

Embora uma criança constipada possa ir à escola, é recomendável que não o faça, uma vez que existe o risco de contágio.

doenças mais comuns nas creches

2. Otite externa

– Manifesta-se como uma infeção cutânea no canal auditivo e afeta com frequência as crianças. Esta doença é bacteriana e os seus sintomas incluem dor, comichão e dificuldade em ouvir.

Não sendo infecciosa, a doença permite que a criança vá ao infantário, desde que os sintomas não a deixem demasiado abalada.

doenças mais comuns nas creches

3. Amigdalite

– Outra das doenças que comummente se encontram em creches é a amigdalite, uma infeção na região das amígdalas, de base viral ou bacteriana que provoca febre, dores de garganta, dificuldade em engolir alimentos e inflamação da garganta.

Trata-se de uma doença contagiosa mas que se transmite apenas pelos espirros ou tosse. Uma criança com amigdalite pode, por norma, depois de ser devidamente medicada, ir à creche, desde que não tenha febre.

doenças comuns nos infantários

4. Varicela

– A varicela é uma doença infecciosa provocada pelo Vírus Varicela Zoster.

Este provoca desconforto, dores de cabeça, febre, aparecimento de borbulhas no corpo e falta de apetite e é extraordinariamente comum em crianças entre os 2 e os 8 anos.

Este vírus é contraído apenas uma vez na vida, sendo que o corpo produz, depois, os anticorpos necessários para combater a doença.

Embora seja uma doença muito contagiosa, que obrigará a criança a permanecer em casa, a varicela não é perigosa, sendo muito raro o desenvolvimento de cenários mais graves quando a mesma é contraída na infância.

doenças nas creches

5. Gastroenterite

– Esta doença viral é muito comum na infância e está diretamente relacionada com a inflamação da mucosa do estômago e dos intestinos.

Esta doença carateriza-se por diarreias e vómitos persistentes, desidratação e febre alta.

Por ser uma doença contagiosa, a criança não poderá ir à cresce até que esteja totalmente recuperada.

doenças nas creches

6. Laringite

– Esta é uma doença viral caraterizada por sintomas como rouquidão, febre, libertação de muco nasal, tosse seca e pieira na respiração.

Esta é, também, uma doença contagiosa, que se transmite pelas gotículas libertadas pela tosse.

Assim sendo, a criança não deverá ir ao infantário até que a tosse passe por completo.

doenças nos infantários

7. Gastrite

– A gastrite trata-se de uma doença bacteriana que causa dor na barriga, náusea, vómito e consequente perda de peso.

Esta doença é tratada com antibióticos e não dispensa a consulta de um médico, tendo ainda um período de recuperação de cerca de meio mês.

Esta doença é também contagiosa mas, contando que a criança se sinta bem o suficiente, esta poderá ir à escolinha.

doenças mais comuns nas creches e infantários

8. Adenoidite

– Esta doença carateriza-se pela inflamação das adenóides e tem como sintomas a tosse, a dificuldade respiratória e a libertação de muco espesso e esverdeado.

Quando não é tratada a tempo, esta doença tende a evoluir para uma otite média.

Não se tratando de uma doença contagiosa, a criança poderá ir à cresce, desde que se encontre suficientemente bem para o fazer.

Assim, como pode ver, as doenças mais comuns nos infantários, apesar de maioritariamente contagiosas, não são muito graves.

Mas conte-nos: sentiu medo de deixar o seu filho na creche? Os seus receios relacionavam-se com as doenças? Queremos saber como viveu esta experiência.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo