Superar a perda gestacional: alguns conselhos 

Superar a perda gestacional é sempre muito duro para o casal e, em especial, para a mulher. Esta é uma perda muito profunda e que deixa marcas emocionais fortíssimas. Ainda assim, torna-se essencial superar a perda gestacional para que a vida possa seguir e, quem sabe, novas oportunidades de parentalidade surjam.

Venha com o Bebé a Bordo conhecer alguns conselhos para superar a perda gestacional. 

A gestação é frequentemente descrita como a fase mais bonita e intensa da vida de uma mulher. Numa gravidez, trimestre a trimestre, a mulher grávida acompanha alterações em si e no seu próprio corpo, seguindo com entusiasmo o crescimento de um novo amor. 

Embora existam casos de depressão na gravidez e de gravidez indesejada, esta não será a norma. O mais comum é que a grávida se entusiasme e dê por si a procurar as frases para anunciar gravidez ou as frases para foto de grávida mais adequadas às suas redes sociais. 

Estas mulheres afirmam sonhar com gravidez, muitas vezes antes de ela se ter iniciado e demonstram um sentido emocional que as liga, desde o primeiro instante, ao bebé que ainda não nasceu. 

Assim, quando algum evento – como uma doença ou um acidente – provoca um aborto espontâneo e a perda gestacional acontece, estas mulheres nem sempre sabem como lidar com a situação. 

É absolutamente natural que assim seja. A perda de um filho, principalmente quando este é muito desejado e a perda acontece numa fase mais avançada da gestação, pode ser demolidor para as emoções do casal e, em particular, da mulher cujo corpo albergava este amor. 

Superar não é simples… mas é possível. Embora não existam fórmulas mágicas para eliminar a dor que sente, hoje lançamos o olhar sobre esta penosa situação e deixamos alguns conselhos que – esperamos – possam ajudá-la a superar a perda gestacional. 

Superar a perda gestacional

1. Conselhos para superar a perda gestacional: Permita-se sentir

Negação, tristeza, raiva, dor, culpa, ressentimento… tudo isto é natural perante uma perda gestacional. Não se sinta mal por sentir o que sente nem tente ocultar estes sentimentos, ainda que saiba que está a dirigi-los de forma errada. 

Por exemplo, é muito comum que mulheres que sofreram abortos espontâneos ressintam outras mulheres, que levaram a gravidez a termo e foram mamãs.

Ou que sintam que tiveram culpa do que se passou, acreditando que uma forma de ação distinta poderia ter sido decisiva para evitar a perda. Os seus sentimentos poderão não ser os que se consideram “socialmente mais corretos” mas são fases do luto que precisa de viver e de aceitar para poder, depois, superar a perda gestacional. (1

Não cale a voz dos seus sentimentos e permita-se sentir e falar sobre o que se passou com as pessoas mais próximas. 

2. Tire uns dias para si

Mesmo depois da recuperação física, é muito natural que ainda sinta que não está preparada para regressar ao seu trabalho. 

Encarar a naturalidade do mundo – que mudou tanto para si, sem que exista uma mudança efetiva no ambiente que a rodeia – nem sempre é simples. 

Peça alguns dias de licença para poder processar a perda e gerir as suas emoções. Se estes não forem suficientes, procure respeitar o seu tempo e tirar alguns dias que tenha para gozar ou mesmo férias. O importante será respeitar o seu tempo de luto e regressar apenas quando se sentir preparada. 

3. Conselhos para superar a perda gestacional: Procure ajuda

Procurar ajuda profissional, junto de um psicólogo, pode ser muito importante para superar a perda gestacional. 

Falar sobre o que se passou é fundamental para a superação e, muitas vezes, é mais fácil fazê-lo com um estranho do que com as pessoas que fazem parte do seu círculo. 

Vários psicólogos afirmam que falar é essencial para que estas mulheres consigam lidar com as várias emoções que surgem depois da perda do bebé. (2

4. Respeite o seu tempo no que respeita à intimidade

sexualidade na gravidez começa a ser um tema mais comum… mas a sexualidade após a perda gestacional nem sempre é referida. 

Muitos casais que passam por este tipo de situação procuram, nos braços um do outro, o conforto. Outros, no entanto, reagem à situação com um afastamento físico. (3

É usual que o casal sinta medo de uma nova gravidez ou que, pelas emoções negativas, tenha dificuldade em iniciar a prática sexual. Esta é uma situação que melhora com o tempo, sendo importantíssimo que o tempo de luto de ambos os elementos do casal seja respeitado. 

Quando estiverem preparados irão certamente retomar a intimidade, e após garantirem que se informam junto de um médico sobre quantos ciclos da menstruação deve esperar para engravidar após o aborto, poderão até fazer uma nova tentativa de gravidez. 

5. Conselhos para superar a perda gestacional: Partilhe a sua experiência com outras mulheres

A dor é intensa e a vontade do isolamento fará, provavelmente, parte da tendência natural das mulheres que sofrem uma perda gestacional. Ainda assim, para conseguir ultrapassar esta situação, é importante que fale sobre o assunto com outras pessoas que entendam o seu sentido maternal ou que tenham, também, passado pela mesma situação. 

Caso não consiga dirigir-se a um grupo de apoio, de partilha destas experiências, poderá sempre juntar-se a grupos de internet e fóruns destinados para o efeito, onde encontre outras mulheres grávidas ou que tenham passado por perdas gestacionais semelhantes à sua. (4

Existem vários espaços onde pode partilhar, de forma segura, o que passou e receber o apoio e empatia de mulheres que compreendem a sua situação.

Um exemplo disto será o grupo Gravidez passo a passo, onde muitas mamãs, futuras mamãs e tentantes serão, certamente, compreensivas com a sua situação. 

Passou ou conhece alguém que tenha passado por uma perda gestacional? Como fez para superar a mágoa trazida por esta situação? Partilhe a sua experiência com as restantes leitoras do Bebé a Bordo

Poderá gostar também de:

Carta de uma tia para os sobrinhos

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo