Covid-19 e reabertura das creches: tudo o que deve saber

A reabertura das creches vai fazer-se acompanhar de um conjunto de normas e diretivas para garantir a segurança das crianças. Venha, com o Bebé a Bordo, descobrir quais as medidas de proteção adotadas para a reabertura das creches em tempo de pandemia.

As preocupações sobre deixar os filhos nas creches sempre existiram. Desde as doenças mais comuns nos infantários, passando pelas temáticas relacionadas com a alimentação na creche, as questões sempre foram diversas.

Muitos pais, por uma questão de segurança, preferiam até ter já as aplicações móveis para creches, para poderem acompanhar os filhos durante a permanência na escolinha.

O Covid-19, no entanto, levanta questões mais severas e nenhum pai ou mãe poderia estar preparado para lidar com uma situação pandémica desta dimensão, sendo que esta é, garantidamente, mais uma das coisas sobre a maternidade que ninguém lhe contou.

Perante a situação, no entanto, gerir da melhor forma a ação é fundamental para que se consiga deixar a criança em segurança, na creche, para poder regressar ao trabalho e a uma rotina quotidiana (relativamente) normal.
Venha conhecer as normas para a reabertura das creches no próximo dia 18 de Maio.

Quais as diretivas para as creches?

Em Portugal, a abertura das creches está prevista para o dia 18 de Maio mas esta reabertura não dispensa regras estritas e recomendações. (1)

A Direção Geral de Saúde (DGS) revelou já as diretivas que integram o plano de contingência neste momento de regresso ao infantário.
A reabertura da creche deverá ser feita consoante as orientações estipuladas, entre as quais se incluem:

– Existência de uma zona de isolamento para os casos suspeitos de Covid-19;
– Substituição de funcionários doentes;
– Desinfeção e arejamento dos espaços;
– Proibição do uso de ar condicionado em modo de recirculação de ar;
– Obrigatoriedade de um dispensador de desinfetante em gel em cada sala;
– Distanciamento dos espaços de descanso (como camas e berços) de pelo menos 2 metros;
– Criação de turmas mais pequenas e fixas;
– Aplicação de rigorosas medidas de higiene dos funcionários e dos espaços;
– Uso de máscara cirúrgica por parte de todos os funcionários.

Quais as diretivas para os pais e as crianças?

Além disso, as próprias crianças e pais terão de ser orientados para garantir o cumprimento das seguintes normas: (2)

– Distanciamento de 2 metros entre as crianças;
– Impossibilidade de partilha dos materiais didáticos;
– Impossibilidade de levar brinquedos pessoais para a creche;
– Entrega individual da criança e impossibilidade de entrada dos pais;
– Fornecimento de calçado exclusivo para uso no interior da creche;
– Uso de máscara para crianças com idade superior a 6 anos e proibição do seu uso para crianças com idade inferior a 6 anos. 

Qual a opinião dos especialistas?

Apesar de todas as medidas, a Associação de Profissionais de Educação de Infância considera manifestou desagrado quanto à reabertura das creches, considerando que as medidas e condições impostas são insuficientes e impraticáveis. (3)

Entre as medidas mais criticadas encontra-se o distanciamento entre as crianças, por ser uma meta utópica, que dificilmente poderá ser aplicada.
Além disso, sendo que a socialização é um dos princípios fundamentais dos ensinamentos da creche, esta associação considera que as medidas contrariam os ensinamentos básicos dos infantários.

Qual é a sua opinião pessoal sobre as medidas e condições da reabertura das creches? Partilhe a sua opinião com as restantes mamãs do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

One Response

  1. Cristina Alexandra Martins Silva

Comente este artigo