Pregorexia: o distúrbio alimentar que afeta as mulheres grávidas

O conceito de pregorexia é relativamente recente e surgiu para descrever uma realidade que afeta cada vez mais gestantes: os distúrbios alimentares na gestação. Conheça a pregorexia e os seus riscos.  

As preocupações com o corpo tornam-se, no século XXI, cada vez mais comuns. O desejo de promover o emagrecimento e a construção muscular faz com que muitas mulheres questionem se podem praticar exercício na gravidez ou fazer dieta para emagrecer nesta fase das suas vidas.

A nutrição, como sabemos, tem um forte impacto na fertilidade e no desenrolar da gestação, sendo essencial para garantir a saúde da futura mamã, o correto desenvolvimento do feto e para prevenir alguns dos problemas mais comuns da gestação.

Ainda que esta seja uma fase feliz, a preocupação constante pode fazer com que algumas gestantes que apresentam um passado clínico com distúrbios alimentares tenham maior dificuldade de lidar com a gravidez e o seu consequente aumento de peso.

Mesmo que este não seja o caso, no entanto, é ainda pertinente compreender que, em algumas situações, a própria alteração física na gestação motiva este tipo de transtorno. Conheça a pregorexia, o distúrbio alimentar que afeta as mulheres grávidas.

Pregorexia: o distúrbio alimentar que afeta as mulheres grávidas

O que é a pregorexia?

A pregorexia é um fenómeno raro mas que tem vindo a intensificar-se à medida que a crescente cultura fit se torna mais presente na nossa cultura.
Este conceito refere-se a um transtorno alimentar que surge durante a gravidez e que se manifesta pela preocupação excessiva com o aspeto físico e a necessidade de controlar o peso.

Esta situação faz com que muitas mulheres sintam a necessidade de levar a cabo dietas restritivas ou mesmo a saltar refeições, o que pode ser perigoso para a saúde da gestante e do bebé. (1)

Outras manifestações possíveis são a recusa por determinados alimentos, uma preocupação excessiva com o número de calorias dos produtos alimentares ou uma rotina de treino excessiva e de intensidade potencialmente desadequada para uma gestante.

Causas e sinais da pregorexia

Os estudos conduzidos em torno da pregorexia indicam que esta poderá estar relacionada, não apenas com a alteração física e as mudanças corporais específicas que o corpo feminino vive durante a gestação mas também com as alterações hormonais, bioquímicas e psicológicas desta fase da vida da mulher.

Nem sempre os sinais deste problema são fáceis de identificar já que os problemas de autoimagem e a culpa inerente à prática de rotinas alimentares incorretas levam muitas gestantes a ocultar o problema.
Ainda assim, alguns dos traços que podem indicar que a gestante sofre de pregorexia são: (2)

– Ganho de peso insuficiente;
– Perda de controlo e cenários de compulsão alimentar;
– Sentimento de culpa face à alimentação;
– Vómito autoinduzido;
– Realização de exercício físico intenso e extenuante;
– Preocupação excessiva com a forma física;
– Manifestações de perda de controlo face à alimentação.

Os riscos da pregorexia

Alguns estudos têm indicado que este problema de peso na gravidez está presente em cada vez mais mulheres. Estima-se que, nos Estados Unidos da América, este número ascenda a 30% das gestantes. (3)

Entre os principais riscos destacados pela pesquisa internacional sobre a matéria, encontram-se a possibilidade de aborto espontâneo, o défice nutricional para a mãe e o bebé, o nascimento de um bebé com baixo peso, as potenciais complicações no desenvolvimento fetal e o maior risco de doenças crónicas na criança, o parto prematuro e as complicações na hora h.

Já tinha ouvido falar deste distúrbio alimentar? Qual é a sua opinião sobre esta matéria? Partilhe os seus pensamentos com os restantes leitores do bebé a bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo