Nutricionista gestacional, em que situações deve a grávida recorrer?

Um nutricionista gestacional poderá ajudar a gestante na elaboração do seu cardápio saudável. Como sabemos, a alimentação cumpre, na gestação, um papel fundamental e obter um apoio especializado na matéria poderá ajudar a mulher grávida a adequar a sua alimentação às suas necessidades particulares. Sabe em que situações a grávida deve recorrer a um nutricionista gestacional?

Então, venha descobrir com o Bebé a Bordo.

Durante a gravidez, a mulher irá encontrar-se com um mundo de novidades, redescobrindo a forma de encarar a vida e assistindo a alterações físicas e psicológicas. Acompanhando estas mudanças, surgem novas necessidades e também muitas dúvidas.

A alimentação é um dos meandros onde mais questões são colocadas.

Sendo que a gestação se apresenta como uma fase onde o cuidado alimentar deve ser elevado, para garantir a correta nutrição da mamã e o crescimento e desenvolvimento saudável do feto; torna-se importante conhecer bem os alimentos que compõem a dieta da futura mamã, para que esta seja rica e saudável.

As dúvidas em torno desta necessidade são inúmeras: será que posso consumir este alimento? Será que o chá verde é perigoso para a gestate? Posso fazer dieta para emagrecer se estiver grávida? E uma dieta cetogénica? E qual é o cardápio para a grávida obesa?

É neste ponto que surge o papel fulcral de uma especialista: a nutricionista gestacional. No fundo, a consulta com um nutricionista gestacional irá garantir um acompanhamento no que diz respeito à nutrição nesta fase da vida, para garantir que tanto a mamã como o bebé recebem todos os elementos e nutrientes essenciais.

Sabendo como a nutrição importa durante os nove meses da sua gestação, olhámos, hoje, para o papel da nutricionista gestacional, para sublinharmos a importância deste acompanhamento e lhe dizermos em que situações a grávida deve recorrer a este tipo de consulta.

Nutricionista gestacional

1. A gravidez e a adequação alimentar

Durante muito tempo, a ideia de adequar a alimentação à gravidez era a de “comer por dois”. Esta ideia, que ainda se ouve por aí, não está correta e pode, na verdade, ser bastante nociva para a gestação, fazendo com que a gestante engorde além do limite saudável.

Embora as doses ingeridas não devam ser dobradas, no entanto, é totalmente verdade que, durante a gravidez, as necessidades nutricionais da mulher no que diz respeito ao índice calórico e aos nutrientes ingeridos são alteradas.

Torna-se, por isso, necessário que a mulher mude o seu cardápio, de forma a que este se adapte às suas novas necessidades.

Com um bebé a desenvolver-se no ventre, o corpo da mulher irá gastar mais energia e, se um consumo excessivo de alimentos pode gerar situações de perigo para a saúde – como a diabetes gestacional, a obesidade na gestação ou a hipertensão gestacional – o consumo parco ou desajustado de nutrientes pode levar a situações de carência e desnutrição que colocarão em causa, não apenas a saúde da mamã, mas também o próprio curso da gravidez.

Conhecer melhor estas necessidades e saber como lhes dar resposta é, em suma, a principal razão que leva as mulheres grávidas a procurar o aconselhamento de um nutricionista gestacional.

2. Nutricionista gestacional: porque procurar? 

Como referimos, a gestação é uma fase de mudança e a procura de um nutricionista gestacional fará, nesta fase, todo o sentido.

Existem várias razões para procurar este tipo de acompanhamento.

Para começar, um nutricionista gestacional poderá ajudar no controlo do peso que ganhará ao longo da gravidez, garantindo que este aumento é feito de uma forma saudável e que não prejudique a saúde da gestante.

Além disso, ao adequar a alimentação da mulher grávida às suas necessidades pessoais e à sua condição, este tipo de acompanhamento pode evitar as doenças de carência, que surgem devido à ingestão insuficiente de determinados minerais ou vitaminas (como, por exemplo, o cálcio, o ácido fólico ou o ferro).

Ainda no que diz respeito à prevenção de doenças, a consulta de um nutricionista gestacional poderá ser importante para minorar o risco de a gestante vir a sofrer de doenças crónicas.

Ao evitar uma alimentação desregrada, este acompanhamento poderá evitar quadros clínicos tão perigosos como a diabetes gestacional e a pré-eclâmpsia.

Por fim, uma alimentação mais saudável, mediante o acompanhamento especializado, poderá fazer com que alguns dos desconfortos mais comuns desta fase, como a azia, as náuseas ou a obstipação sejam minorados.

3. Quais os benefícios de consultar um nutricionista gestacional?

A consulta junto de um nutricionista gestacional poderá ter diversos benefícios para a gestante. Entre as principais vantagens deste acompanhamento encontra-se:

– a promoção de uma dieta saudável;
– a criação de uma maior variedade de opções alimentares;
– o estabelecimento das quantidades necessárias de cada nutriente e grupo alimentar;
– a promoção de um ganho de peso adequado;
– a criação de um equilíbrio energético corporal;
– a criação e manutenção de um cardápio adequado às várias fases da gravidez;
– a promoção de uma alimentação livre de dúvidas e ansiedade;
– o aconselhamento de suplementos necessários para a gestação.

4. Quem deve recorrer a um nutricionista gestacional?

A consulta junto de um nutricionista gestacional adequa-se a todas as futuras mamãs que desejem um aconselhamento no que diz respeito à alimentação durante o tempo da sua gestação.

Mulheres que sofram de obesidade ou sobrepeso poderão encontrar, neste aconselhamento, uma ajuda extra, para garantirem a boa nutrição na gestação e melhorarem a sua condição física através de uma reeducação alimentar.

Um especialista de nutrição será a pessoa indicada para garantir um ganho correto de peso e uma alimentação adequada durante a gravidez.

Consultou um nutricionista gestacional durante a sua gravidez? Conte às restantes mamãs do Bebé a Bordo como correu este acompanhamento! Elas terão muito a ganhar em conhecer a sua experiência.

Algumas fontes: iespe aafp who pimpolho guiadobebe nutrimae

Poderá ser interessante também:

Alimentação na gravidez trimestre a trimestre

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo