Mília neonatal: sabe o que é esta doença na pele do bebé?

A milia neonatal é um dos problemas de pele comuns nos bebés. Já conhece as caraterísticas da miliária? Sabe como tratar esta condição? Então, está na hora de saber mais sobre este problema de pele com o Bebé a Bordo, para descobrir tudo o que precisa sobre a milia neonatal. 

Os bebés são, como todos sabemos, seres frágeis e cujas estruturas físicas permanecem em desenvolvimento. Com órgãos e funções ainda imaturos, estes humanos em miniatura estão ainda a aprender a reagir ao mundo que os rodeia e, por isso mesmo, não é estranho que fiquem mais sujeitos a contrair determinadas doenças. 

Além das doenças mais comuns nos infantários, e de condições comuns como os sapinhos na boca do bebé ou a doença mãos, pés e boca, uma situação que costuma preocupar bastante os pais das crianças são as manifestações cutâneas por estas demonstradas. 

Com uma pele ainda imatura e uma maior incapacidade de dar resposta às agressões ambientais, como o calor, o bebé manifesta, muitas vezes, problemas de pele. Situações como a dermatite da fralda ou o impetigo sucedem com regularidade e deixam os pais preocupados. 

Um dos principais problemas de pele nos bebés e que exemplifica bem esta situação é a mília neonatal. Esta condição, também conhecida como brotoeja ou miliária, é muito comum nos mais pequeninos. Embora não costume desenvolver-se de uma forma nociva, a miliária merece toda a atenção. 

Venha conhecer as causas, os sintomas, os tipos e as formas de tratamento da mília neonatal. 

Mília neonatal

1. O que é a mília neonatal?

A mília neonatal, usualmente chamada de miliária ou mesmo de brotoeja, trata-se de uma forma benigna de dermatite. 

Esta condição pode ser identificada pelo aparecimento de pequenas erupções cutâneas, sob a forma de pequenas borbulhas cuja tonalidade pode oscilar entre o branco, o tom amarelado ou a tonalidade avermelhada. 

Embora existam vários tipos de mília neonatal, a mais comum é a mília primária (que inclui a mília cristalina e a mília rubra). 

Este problema afeta cerca de 50% dos recém-nascidos e, embora mais comum em bebés, pode acontecer em qualquer idade. (1

Usualmente, este problema acaba por passar de forma natural, desaparecendo cerca de um mês após a sua manifestação. 

Quais são as causas da mília neonatal no bebé?

A principal causa da mília neonatal deve-se à obstrução dos ductos de suor. Ao ficarem obstruídos, estes impedem que a criança sue de forma normal, o que leva ao aparecimento de pequenas bolhas, cuja aparência varia de acordo com o tipo de miliária. (2

2. Quais são os tipos de mília neonatal?

Existem vários tipos de mília neonatal, embora a sua incidência não seja percentualmente equilibrada. Os três principais tipos de mília neonatal são: (3

Mília cristalina

Este tipo de mília neonatal é um dos mais comuns e também o menos intenso. Este tipo de miliária acontece quando a obstrução nos ductos sudários é superficial e a sua manifestação apresenta-se mediante o aparecimento de borbulhas pequenas, usualmente agrupadas e de tom cristalino, que criam uma superfície rugosa sobre a pele. 

Por norma, estas pequenas bolhas não causam comichão nem desconforto ao bebé e acabam por passar naturalmente, apenas com cuidados de higiene. 

Mília rubra

Ligeiramente mais usual do que a mília cristalina, esta forma de mília acontece quando a obstrução nos dutos acotece de uma forma mais profunda, fazendo com que o suor se acumule nas camadas subcutâneas e criando uma inflamação na pele do bebé. 

A aparência desta mília – e a razão do seu nome – prende-se com a tonalidade avermelhada das borbulhas. Esta condição causa já comichão aos bebés ou mesmo ardor, podendo a criança mostrar-se mais irritável. 

É natural que esta condição se faça acompanhar de uma pele mais seca e sensível. 

Mília pustulosa

Entre as formas de mília neonatal nos bebés, esta é a mais rara. Decorrente de uma obstrução profunda dos ductos, esta apresenta lesões cutâneas de maior dimensão e nas quais se desenvolve pus. 

Além de comichão, estas borbulhas poderão causar dor e desconforto ao bebé. 

. Quais são os sintomas da miliária?

Entre os vários sintomas de mília neonatal, podemos destacar os seguintes: 

– Aparecimento de bolhas (principalmente no rosto, nas costas, na barriga e nos membros do bebé); 
– Comichão ou desconforto; 
– Choro recorrente; 
– Irritabilidade. 

Se os sinais cutâneos de mília neonatal se mantiverem por mais do que um mês, é importante a consulta de um especialista. (4)

3. Como é feito o tratamento da mília neonatal?

Usualmente, no prazo máximo de um mês e sem qualquer tipo de intervenção clínica, a mília neonatal tende a desaparecer por si só. 

O recurso a roupas leves e preferencialmente não sintéticas; assim como ambientes arejados e amenos serão uma boa forma de ajudar a solucionar esta condição. 

Nos bebés com mília rubra, por se tratar de uma condição mais irritante, que causa desconforto e comichão, poderá ser recomendada alguma loção à base de calamina ou mesmo a lanolina

É recomendado que qualquer pomada ou creme medicinal seja aplicado ao bebé apenas por recomendação médica, já que, sem prescrição, poderá acabar por agravar a situação. 

O seu filho teve mília neonatal? Conte às restantes mamãs do Bebé a Bordo quais os cuidados que teve perante esta situação. 

Poderá ter interesse também em:

13 principais problemas de pele nos bebés

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo