Linhaça e gravidez

Linhaça e gravidez, de A a Z

A gravidez é, provavelmente, um dos momentos da vida da mulher na qual a nutrição mais parece importar.

No momento de escolher uma alimentação saudável, nutritiva e equilibrada, todas as futuras mamãs se debruçam sobre as opções alimentares, procurando as melhores alternativas para se manterem saudáveis e contribuírem para o bom desenvolvimento dos seus bebés.

Nesta demanda por uma alimentação regrada e saudável, as gestantes encontram, muitas vezes, alguns alimentos inesperados e que, anteriormente, eram raros no seu quotidiano alimentar.

As sementes (como a chia), o mel, os frutos secos e até mesmo a tapioca são algumas das opções que surgem, de forma deliciosamente saudável, para preencher “aquele” desejo de algo doce ou simplesmente para fazer um lanche diferente entre as principais refeições.

É neste contexto que surge, pois, a linhaça.

Altamente nutritivo e repleto de benefícios, este ingrediente surge em várias formas.

Ao longo dos anos, ouviu-se falar muito sobre ele e foram muitas as verdades e os mitos que se perpetuaram.

É por isso mesmo que, hoje, olhamos para ele, tentando separar mito e realidade, para saber com o que pode contar no momento de ingerir linhaça na gravidez.

Acompanhe-nos para saber tudo sobre a linhaça.

1. Linhaça: o que é?

A linhaça é o nome dado à semente do Linum Usitatissimum (Linho).

Esta semente tem vindo a ganhar adeptos e tornou-se um elemento frequente da culinária moderna.

A semente é conhecida pela sua força nutritiva e pela presença de ácidos gordos, proteínas e fibras na sua composição.

A partir desta semente é ainda feito o óleo de linhaça, um superalimento onde se encontram o ómega 3, 6 e 9; e a farinha de linhaça, a partir da qual é feito pão integral, bolos ou barras de cereais.

Além do seu uso culinário, a linhaça tem também vindo a ser utilizada na indústria farmacêutica, que lhe reconhece valor medicinal.

2. As propriedades da linhaça

A linhaça é um alimento com propriedades magníficas, o que se explica facilmente pela sua riqueza composicional.

São-lhe atribuídas, entre outras, propriedades nutritivas, antioxidantes, reguladoras e anticangerígenas.

Estas propriedades advêm grandemente da alta percentagem de óleo na sua composição (cerca de 40%), bem como à presença de lignanas e de fibras alimentares.

Ómega 6, Ómega 9 e Ómega 3 são alguns dos ácidos gordos que compõe a linhaça e cuja ação promove a remoção do sódio excessivo dos rins e, assim, evita a retenção de líquidos.

O ómega 3 na composição desta semente ajuda a fortalecer o sistema imunitário e a eliminar as toxinas, agindo como um antioxidante e um renovador celular.

As fibras presentes nesta semente são uma ajuda inegável na regulação do sistema gastrointestinal e são, por isso mesmo, importantes na prevenção e tratamento da prisão de ventre.

Além disto, na sua composição é ainda possível encontrar as vitaminas B(1 e 2), C e E; o ferro, o zinco, o fósforo, o magnésio e o cálcio, nutrientes essenciais numa alimentação regrada e numa vida saudável.

3. Linhaça e gravidez

Por esta altura, já deve ter percebido, pela composição da linhaça, que esta é, sem dúvida, uma grande amiga das gestantes.

Contendo nutrientes particularmente importantes durante esta fase da sua vida, a linhaça é, sem dúvida, uma forma excelente de completar a sua alimentação.

Ainda assim, como deve perceber, ela não é um medicamento nem substitui uma rotina alimentar e física equilibradas, tratando-se somente de um complemento que, quando tomado com regularidade e frequência, ajudará a melhorar a sua saúde e o seu bem-estar durante a gestação.

Quando tomada com regularidade e em conjunto com uma alimentação saudável, a linhaça será a melhor amiga da gestante!

Rica em proteínas e bastante calórica, esta semente irá ajudar a nutrir o seu corpo, ao mesmo tempo que as fibras atuam na prevenção da prisão de ventre e ajudam a evitar as hemorróidas que comummente surgem na gravidez.

A linhaça ajuda ainda a prevenir e melhorar a retenção de líquidos.

A sua ação desintoxicante ajudará a limpar o organismo e os seus compostos bioativos evitarão a degeneração celular precoce.

Estudos recentes mostram mesmo que este alimento tem um papel na diminuição de algumas doenças na redução do risco de parto prematuro.

Por fim, vale também a pena referir o papel deste alimento na saciedade. Embora possam parecer apenas pequenas sementes, a verdade é que a linhaça demora algum tempo a ser absorvida no organismo. Isto deve-se às fibras insolúveis que fazem parte da sua constituição.

Estas quando chegam ao estômago formam um gel que faz com que a digestão seja mais longa, sem picos de glicémia, logo prolonga a sensação de saciedade e ajuda a controlar o apetite.

Desta forma, ajuda a reduzir o apetite voraz que por vezes surge durante a gravidez.

4. Precauções e dicas sobre linhaça e gravidez

São muitos os benefícios da linhaça mas, como bem sabe, tudo se quer com peso e medida.

Quando consumido em excesso este alimento poderá ter efeitos nocivos, fazendo com que engorde demasiado ou com que sofra de diarreias.

A quantidade indicada será cerca de duas a três colheres de sopa por dia. Para comer este alimento poderá, por exemplo, juntar as sementes aos seus iogurtes ou numa salada. Na forma de farinha, descobrirá como pode tornar os seus bolos mais saudáveis e ainda deliciosos.

5. Mitos e desvantagens no consumo de linhaça

Antes de se aventurar no consumo deste alimento, existem alguns aspetos a ter em conta.

A ideia difundida sobre os efeitos abortivos da linhaça não tem qualquer fundamento científico que a sustente, tratando-se, por isso, de um mito.

Embora não seja abortiva, no entanto, a linhaça não pode ser consumida de forma desregrada e sem preocupações.

Tratando-se de um alergénio, torna-se muito importante que garanta que não fará efeitos secundários ao consumo da semente antes de a integrar na sua alimentação.

Lembre-se que, durante a gestação, uma alergia pode ser muito perigosa.

Da mesma forma, se estiver a tomar algum medicamento, deverá garantir que a linhaça não interferirá na sua atuação.

Recomendamos, por isso mesmo, que consulte um médico, expondo o seu desejo de integrar linhaça na sua alimentação (linhaça e gravidez).

Ele será a melhor pessoa para a aconselhar quanto a esse consumo.

Consumiu linhaça durante a sua gestação? Conte-nos tudo sobre essa experiência.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo