Ibuprofeno na gravidez é contra-indicado?

Ibuprofeno na gravidez

Ficar doente ou ter dores durante a gestação não é impossível. Ainda assim, se a toma de determinados medicamentos (como analgésicos e anti-inflamatórios) é, por norma, algo que se faz com casualidade, durante a gestação, a automedicação é verdadeiramente perigosa.

Sabe os riscos da toma do ibuprofeno na gravidez?

Venha saber com o Bebé a Bordo.

Ter uma dor de cabeça ou uma gripe e, sem delongas, correr para o armário dos medicamentos ou ir até à farmácia mais próxima para comprar um medicamento cujo o princípio ativo é o ibuprofeno: eis um crime do qual, provavelmente, somos todos culpados!

Ao longo da nossa vida, este tipo de fármaco torna-se “normal” para resolver as pequenas dores e os sintomas de algumas doenças. Habituamo-nos a “tê-los sempre à mão” e a recorrer aos mesmos sem preocupações.

Se este é o seu caso e está grávida, no entanto, saiba que a toma deste tipo de medicamento poderá ter consequências muito nocivas para si!

É verdade: o ibuprofeno, que ao longo da vida aprendemos a tomar como aliado constitui um perigo incrível durante o período gestacional.

Tratando-se de um dos medicamentos mais usados para curar males tão distintos como constipações, dores de dentes, dores musculares ou dores de cabeça, sentimos, então, a necessidade de nos debruçarmos sobre as razões pelas quais o ibuprofeno na gravidez está de tal forma mal conotado.

Acompanhe-nos para saber quais os perigos do ibuprofeno na gravidez.

Ibuprofeno na gravidez

1. O que é o ibuprofeno?

O ibuprofeno é o princípio ativo de inúmeros fármacos no mercado e trata-se de um medicamento de ação analgésica e antitérmica, incluído na classe dos anti-inflamatórios não esteróides.

No mercado, em venda livre, este pode ser encontrado nas dosagens de 200 e 400 mg, existindo ainda medicamentos onde a dosagem ascende aos 600 mg, podendo estas ser adquiridas, apenas, mediante a apresentação de receita médica.

Embora seja um medicamento de uso corrente, a verdade é que este tem algumas contraindicações, nomeadamente no que diz respeito à sua toma durante o período da gestação e do aleitamento do bebé.

2. Ibuprofeno na gravidez: quais as contraindicações?

Ao contrário do paracetamol na gravidez que, dentro das dosagens recomendadas e com o aval médico, pode ser tomado pelas gestantes, a toma de ibuprofeno na gravidez não é segura para a gestante.

O princípio ativo em questão, bem como a classe em que se inclui (dos anti-inflamatórios não esteróides) têm vindo a ser alvo de estudo e os resultados apontam para que estes podem vir a afetar de forma negativa o desenvolvimento fetal, nomeadamente no que diz respeito aos seus rins e ao sistema circulatório.

Apesar de ser desaconselhada a toma deste medicamento, existem casos esporádicos nos quais o obstetra poderá julgar necessário incluí-lo na medicação da gestante, por situações específicas.

Neste caso, deve seguir à risca as dosagens indicadas. O mais importante é que, em caso algum, se automedique com ibuprofeno sem primeiro falar com o seu médico.

3. Ibuprofeno na gravidez: quais os perigos efetivos?

Foram vários os estudos em torno dos perigos do ibuprofeno na gravidez e, como tal, existem diversos dados a apresentar sobre a toma deste medicamento.

Em primeiro lugar, o ibuprofeno está, quando tomado nos primeiros três meses de gestação, associado a um maior risco de malformação cardíaca na criança, havendo ainda casos nos quais surgiram, também, anomalias congénitas no bebé, nomeadamente ao nível da parede abdominal.

A partir do 3º mês, segundo indica um estudo realizado em França (no Instituto de Saúde e Pesquisa Médica e posteriormente publicado na revista científica Scientific Reports), o ibuprofeno pode causar a má formação dos genitais em bebés do sexo masculino.

Ainda no final da gestação, nomeadamente depois da 28ª semana de gravidez, a sua toma está ainda associada à redução da quantidade líquido amniótico e, consequentemente, ao mau desenvolvimento pulmonar do feto, razão pela qual é estritamente proibida a sua toma nesta fase.

Por fim, segundo um estudo canadiano, realizado na Universidade de Montreal e publicado no Canadian Medical Association Journal, este medicamento aumenta ainda o risco de aborto espontâneo.

Segundo este estudo, perante a toma deste medicamento, o risco de um aborto natural aumenta cerca de 2,4 vezes.

Desta forma, torna-se imensamente importante que não tome ibuprofeno na gravidez a menos que o médico o indique, recorrendo, em vez disso, a outros medicamentos.

Independentemente de qual a medicação que faça, é importante que fale com o seu médico para garantir a sua segurança e a do seu bebé!

Já conhecia os perigos da toma de ibuprofeno na gravidez? Quais os medicamentos que tomou durante a gestação? Partilhe connosco a sua experiência pessoal e os seus anseios quanto a esta questão.

Algumas fontes: nurofen  rtp  oglobo.globo  gestacaobebe  saude

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo