Histerectomia: razões para algumas mulheres retirarem o útero depois do parto

A histerectomia é uma cirurgia onde se remove o útero da mulher e, ocasionalmente, a mesma pode ser necessária após o parto. Sabe quais as razões para algumas mulheres retirarem o útero depois do parto? Venha descobrir com o Bebé a Bordo.

A gravidez não é igual para todas as mulheres. Como sabemos, quadros de gravidez de risco podem existir, bem como complicações no parto e, mesmo depois do nascimento, a mulher pode ainda sentir efeitos, como a depressão pós-parto.

A jornada pela gestação, de facto, oferece riscos. Um deles – não sendo uma ocorrência comum – é histerectomia.

Embora muitas mulheres já tenham ouvido a expressão e a associem à retirada do útero, nem todos sabem concretamente do que se trata ou quais as razões para que tal procedimento seja feito.

Hoje, apresentamos este procedimento e as razões para algumas mulheres retirarem o útero depois do parto. Venha saber quais são.

Histerectomia: razões para algumas mulheres retirarem o útero depois do parto

O que é a histerectomia?

A histerectomia é uma cirurgia que serve para extrair o útero e, por vezes, também os ovários e as trompas de falópio. O procedimento pode ser feito de três formas, incluindo a via abdominal, vaginal e laparoscópica. (1)

No pós-parto, esta é uma cirurgia rara, sendo realizada apenas nos casos em que a vida da mulher se encontre em risco.

Quais as razões para algumas mulheres retirarem o útero depois do parto?

O principal motivo para a retirada do útero depois do parto prende-se com a hemorragia provocada pelos vasos sanguíneos que se ligavam à placenta. 

Esta situação é mais comum em mulheres que vivem uma gravidez múltipla ou sofrem de diabetes. Nestes casos, o aumento do volume uterino cria uma maior dificuldade de contração, abrindo os vasos que se ligam à placenta e gerando uma hemorragia. (2)

A histerectomia é a única forma de travar a hemorragia?

Não! Na verdade, a histerectomia é apenas feita depois de várias tentativas de travar a hemorragia terem sido feitas, incluindo pelo recurso a manobras clínicas e medicação. 

O útero só é removido quando a vida da mulher se encontra em risco.

Quais são os fatores de risco?

Este tipo de situação pode acontecer a qualquer mulher grávida, embora, como vimos, não seja muito comum. 

Estima-se que, no mundo, entre 2% e 11% dos partos gere hemorragias, sendo que em apenas algumas destas situações se fará a histerectomia.

O risco deste tipo de complicação parece ser maior em gestações múltiplas e nas quais a gestante sofra de diabetes. Parece também existir maior risco consoante a faixa etária, aumentando o risco consoante a idade da gestante.(3)

Sabia o que era a histerectomia e quais as razões de esta ser feita no pós-parto? Partilhe os seus pensamentos com os restantes leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo