in

Gravidez e chocolate

gravidez e chocolate

Gravidez e chocolate, quando o desejo bate à porta.

O maior desejo de uma mulher é ser mãe!

O segundo maior será, provavelmente, comer chocolate sem engordar.

Quando gravidez e chocolate são olhados em simultâneo, no entanto, são muitas as dúvidas que se levantam.

Ao longo dos anos, o mito de que comer chocolate na gravidez poderia ter consequências negativas bastante graves para a futura mamã e para o bebé fez com que muitas mulheres afastassem este alimento das suas rotinas alimentares durante a gestação.

Baseando-se na crença popular de que nenhuma grávida pode comer chocolate, a ciência tem, nos últimos anos, desenvolvido diversos estudos sobre esta matéria para tentar compreender quais as vantagens e os riscos da ingestão deste alimento.

Neste artigo iremos debruçar-nos sobre a questão para que saiba se, enquanto está grávida pode comer chocolate.

Ingerir chocolate na gravidez

1. Gravidez e chocolate os benefícios 

Com base nos estudos que têm vindo a ser realizados em todo o mundo, sugere-se, hoje em dia, que o consumo de chocolate, desde que seja com moderação, traz mais benefícios para a saúde da futura mamã e do feto do que desvantagens.

Além de ser um alimento antioxidante, o chocolate estimula o sistema nervoso (devido à teobromina) e faz com que se dê, no corpo da sua consumidora, uma libertação de endorfinas que tende a dar, tanto à mãe como ao feto, uma sensação de bem-estar.

Entre os principais benefícios da ingestão de chocolate durante a gestação estão: a regulação da pressão arterial e, com esta, a redução do risco de pré-eclâmpsia; o seu papel na prevenção de doenças cardíacas, devido à ação antioxidante que lhe é inerente; a redução dos níveis de cortisol e, desta forma, a redução da ansiedade e a promoção de um estilo de vida mais calmo e saudável.

Comer chocolate durante a gravidez

2. Riscos do chocolate na gravidez

Comer chocolate na gravidez, como já referimos, não acarreta consigo muitos riscos.

Ainda assim, deverá ter atenção à quantidade ingerida e também ao tipo de chocolate que consome.

No que diz respeito à quantidade, a gestante deve manter-se atenta aos níveis de açúcar e gordura do chocolate, evitando ainda exceder o índice diário recomendado de cafeína.

Principalmente durante os primeiros meses de gravidez, o consumo excessivo de chocolate pode ser abortivo e, na restante gestação, se ingerido de forma desregrada, pode provocar situações indesejadas como a diabetes gestacional, náuseas ou azia.

Além disto, tratando-se de um alimento muito calórico, este poderá fazer com que o peso da gestante aumente mais do que o recomendado.

O controlo do peso durante a gravidez é muito importante para garantir a saúde da mãe e do feto.

Assim sendo, se não tiver atenção à quantidade de chocolate consumido, é possível que a gestante engorde mais do que o desejado, o que pode provocar também um aumento do peso no bebé e problemas de hipertensão tanto na grávida como no seu filhote.

Um parto prematuro será, também, uma das consequências possíveis no caso de obesidade gestacional.

De salientar, no entanto, que todas estas situações podem ocorrer mesmo sem o consumo de chocolate, caso a gestante não mantenha uma rotina de alimentação variada e equilibrada.

3. O chocolate ideal

No momento de consumir chocolate, deve ter em consideração que este é um estimulante (tal como o café ou o chá) e, por isso mesmo, moderar a quantidade ingerida.

Além disto, escolher bem o chocolate que come irá ajudá-la a manter a alimentação saudável que tanto deseja.

O chocolate negro, por exemplo, é considerado a melhor opção. Contendo menos açúcar e gordura, este apresenta maior teor de cacau e tem uma maior ação antioxidante.

Trata-se de um alimento calórico e muito saboroso que irá, certamente, fazer com que se sinta bem.

O único cuidado a ter deve-se ao facto de este ter um maior índice de cafeína na sua composição.

O chocolate de leite tem, por norma, mais açúcar, não sendo, por isso, a sua melhor opção.

O consumo excessivo de sacarose poderá fazer subir os seus níveis de açúcar no sangue ou mesmo provocar diabetes gestacionais.

Ainda assim, se for consumido com moderação, este alimento pode, também, integrar os seus hábitos alimentares durante a gravidez.

O chocolate branco deverá ser consumido ainda de forma mais moderada.

Isto acontece, primeiramente, porque, apesar do nome que tem, o chocolate branco não é, realmente, chocolate.

Trata-se de uma barra açucarada, feita através de uma mistura de manteiga de cacau com leite.

No que respeita à sua tabela nutricional notará, facilmente, que os níveis de açúcar e gordura deste alimento são substancialmente superiores quando comparados aos chocolates negro e ao de leite.

Assim sendo, se os seus desejos apontarem no sentido de consumir este alimento, deve garantir que o ingere em pouca quantidade.

Como vimos, o consumo de chocolate pode ser muito benéfico durante a gestação e, desde que tenha cuidado e atenção às quantidades, a grávida pode comer chocolate, se assim o desejar.

Afinal, qual é a gestante que nunca sentiu aquele desejo por um doce de vez em quando?!

Durante a gravidez sentiu desejos por chocolate? Como reagiu perante os mesmos?

Não deixe de nos contar tudo sobre esses momentos doces da sua gravidez e chocolate!

Clique em uma estrela para avaliar.

Average rating 0 / 5. Votos: 0

ARTIGOS REMOMENDADOS

Escrito por Bebé a Bordo

Saiba mais sobre maternidade, gravidez, bebé e desenvolvimento infantil, com os nossos artigos. Traga o bebé a bordo e veja o que preparamos para si!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings

O amor cura tudo

“O amor cura tudo!”

ácido fólico na gravidez

Ácido fólico na gravidez