Grávida pode usar perfume?

 O uso de perfume na gravidez levanta muitas questões. Venha com o Bebé a Bordo descobrir se a mulher grávida pode (ou não) usar perfume.

Desde o momento do teste de gravidez de farmácia positivo e até ao momento da hora H as questões da gestante são inúmeras e das mais variadas naturezas.

As questões sobre o que pode ou não ser feito, incluindo os chás proibidos, a sexualidade ou mesmo o cabeleireiro fazem parte deste processo, onde muitas e muitas dúvidas surgem, ancoradas no desejo de levar a gestação até ao seu final, sem constrangimentos e com a garantia de que o bebé se desenvolve de forma normal e saudável.

Uma das questões relacionadas com o quotidiano das gestantes que frequentemente ouvimos diz respeito ao uso de perfume.
Para muitas mulheres, o uso do perfume faz parte da rotina diária e é uma forma importante de garantir o seu bem-estar, melhorando o seu humor e criando sensações positivas no seu dia.

Quando estão grávidas, no entanto, as gestantes ficam com medo que o aroma ou os potenciais químicos utilizados na produção das fragrâncias possa ser nocivo para a sua saúde ou a do seu bebé.

Venha descobrir se a grávida pode usar perfume.

depilação íntima na gravidez

É seguro usar perfume na gravidez?

O uso de perfumes na gravidez é globalmente considerado seguro. Ainda assim, durante o tempo de gestação é muito comum que a própria gestante desenvolva uma intolerância aos aromas.

Com um olfato mais sensível, as gestantes tendem a sentir os aromas com maior intensidade, o que f az com que estes cheiros – mesmo quando utilizados há vários anos – possam motivar sintomas como enjoos, dores de cabeça ou tonturas. (1)

Além disso, nesta fase da sua vida, as gestantes podem também notar algum tipo de reação cutânea ao perfume, já que também a pele fica mais sensível.
Se algum destes sintomas se manifestar, a consulta de um médico e a supressão do uso do perfume poderão ser indicados.

Grávida pode usar perfume

A tolerância aos aromas e os melhores perfumes na gravidez

Quando a gestante cria intolerância aos aromas mais fortes mas deseja continuar a perfumar-se, pode fazer algumas escolhas distintas, que certamente serão mais adequadas à sua condição e à sensibilidade olfativa que esta motiva.

Neste caso, recomenda-se que, em vez de um Eau de Parfum (que tem maior percentagem de essência e é mais intenso), a gestante opte por um Eau de Toilette ou uma colónia, que são opções aromaticamente mais leves.
Aromas frescos, como os citrinos, a hortelã e o gengibre também são adequados nesta fase, sendo que algumas destas fragrâncias estão até associadas a uma melhoria na sensação de enjoo na gravidez. (2)

Nesta fase é ainda importante que a gestante tenha preferência pelas fragrâncias orgânicas e produzidas com ingredientes naturais.
A substituição por cremes e óleos é também uma escolha comum nesta fase da vida da mulher. (3)

Usou perfume durante a sua gravidez? Qual foi o perfume que escolheu? Conte a sua experiência às restantes mamãs do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo