Bebé com conjuntivite neonatal, o que precisa de saber

A conjuntivite neonatal é um problema de visão que pode surgir no recém-nascido. Sabe quais as causas, sintomas e tratamentos desta condição de saúde visual? Então, venha descobrir mais sobre o bebé com conjuntivite neonatal com o Bebé a Bordo.

Terminada a hora H, já com o bebé nos braços, os pais descobrem novas fontes de preocupação. Neste momento, com um recém-nascido, evidentemente frágil e indefeso, as preocupações com as doenças estão no centro do pensamento dos pais, que querem garantir uma infância repleta de saúde para o seu filho.

Os problemas de visão mais comuns em bebés são, por isso, um dos pontos aos quais estes pais permanecem atentos, sabendo que questões como o estrabismo ou a ambliopia poderão ocorrer.

A par com estes problemas, que poderão manifestar-se à medida que o bebé se desenvolve, outros problemas oculares podem também surgir, numa fase mais precoce.

Durante o primeiro mês da vida da criança, um destes problemas de visão poderá ser a conjuntivite neonatal.

Hoje, é sobre esta questão que nos debruçamos, para descobrirmos quais as causas, sintomas e tratamentos que podem levar a que o bebé tenha conjuntivite neonatal.

Se quer saber mais sobre o bebé com conjuntivite neonatal, este é o artigo certo para si.

1. O que é a conjuntivite neonatal? Conjuntivite neonatal

A conjuntivite neonatal ou conjuntivite do recém-nascido é uma condição de saúde que pode ser descrita como um endema, usualmente na pálpebra superior e pelo aparecimento de uma secreção de tonalidade amarela no canto dos olhos da criança.

Existem várias causas e tipos de conjuntivite neonatal. O cenário mais comum, no entanto, deve-se a uma irritação química, aparecendo e desaparecendo entre as 12 e as 48 horas de vida da criança. Quando este processo decorre desta forma, o tratamento da conjuntivite neonatal não é necessário, havendo um desaparecimento natural do problema.

Ainda assim, quando a causa do problema é de origem bacteriana ou viral, torna-se necessária a observação por parte de um especialista, para que o correto tratamento seja aplicado.

Quais os sintomas do bebé com conjuntivite neonatal?

Uma vez que o bebé com conjuntivite neonatal tem uma inflamação na membrana ocular, é comum que vários sintomas se manifestem. Os principais são:

– Tendência para lacrimejar;
– Tonalidade avermelhada nos olhos;
– Irritação ocular;
– Secreções oculares:
– Comichão;
– Aparecimento de remelas amareladas;
– Sensibilidade extrema à luz;
– Irritabilidade.

2. Quais as causas que levam ao bebé com conjuntivite neonatal?

Como já referimos, existem várias causas que podem levar à conjuntivite neonatal e, como tal, também vários tipos de conjuntivite no recém-nascido.

Podemos identificar três tipos de conjuntivite neonatal:

1. Conjuntivite neonatal por inflamação química

A conjuntivite química é a menos preocupante, sendo causada por uma reação ao colírio de nitrato de prata que é aplicado após o nascimento do bebé. Esta manifesta-se sob a forma de irritação ocular e tem vindo a tornar-se menos comum, à medida que os colírios aplicados têm sido estudados e alterados. O desaparecimento deste problema é espontâneo.

2. Conjuntivite neonatal bacteriana

A conjuntivite neonatal bacteriana deriva, como o nome indica, de uma bactéria. Esta pode ter sido originada pelo contacto com as bactérias que provocam a clamídia e a gonorreia, ainda durante a gestação. Caso, durante a gestação, estas doenças não tenham sido tratadas, a transmissão pode também ocorrer mediante a passagem do bebé pelo canal vaginal da mãe, no momento do parto.

A conjuntivite neonatal bacteriana é especialmente grave quando deriva da bactéria causadora da gonorreia. Quando não é tratada, esta pode, inclusivamente, levar à cegueira da criança.

3.   vírica

Por fim, a última causa de conjuntivite neonatal é de origem viral. A conjuntivite neonatal vírica é usualmente provocada pelo vírus do herpes de tipo 1 e de tipo 2.

A causa da conjutivite neonatal afeta a sua forma de manifestação?

Sim! A causa da conjuntivite neonatal tem um impacto bastante visível na forma como os sintomas se manifestam e também no tempo de manifestação desses mesmos sintomas.

A conjuntivite de origem química tende a ocorrer nas primeiras horas de vida do bebé, desaparecendo, por norma, de forma espontânea em 48 horas. Em alguns casos, mais raros, os sintomas poderão durar até 96 horas.

Quando deriva da clamídia, a manifestação do problema inicia-se entre 5 e 14 dias depois da criança ter nascido e apresenta vários graus, podendo ser mais ligeira ou mais severa.

Derivando da gonorreia, esta condição de saúde visual terá uma manifestação mais intensa, surgindo pus nos olhos da criança. A manifestação do problema acontecerá nos primeiros 5 dias da criança e a ausência de tratamento poderá causar sequelas intensas para a vida da criança, incluindo ulcerações da córnea ou, em casos mais graves, até a cegueira.

A conjuntivite provocada pelo herpes tende a desaparecer ao final de uma semana, apenas com cuidados de limpeza ocular ao bebé.

3. Como é feito o tratamento do bebé com conjuntivite neonatal?

Usualmente, o tratamento do bebé com conjuntivite neonatal é feito com recurso colírios, medicação ou ambos.

É comum que os especialistas de saúde adequem o tratamento ao tipo e grau de desenvolvimento desta condição e que recorram a métodos como:

– Colírios;
– Pomadas antibióticas de aplicação tópica;
Soro fisiológico;
– Medicação anti-histamínica;
– Medicação à base de cortisona.

Relembramos que apenas um especialista de saúde poderá avaliar a situação e prescrever a forma correta de tratamento do bebé com conjuntivite neonatal.

Já conhecia a conjuntivite neonatal e todas as suas causas? Precisou de lidar com esta situação após o nascimento do seu filho? Conte a sua experiência pessoal às restantes leitoras do Bebé a Bordo.

Algumas fontes: emedicine.medscape msdmanuals hmevora ufrgs verywellhealth

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo