“Diz-me qual pão, digo-te sim ou não”

Comer pão durante a gravidez, “diz-me qual pão, digo-te sim ou não”

A descoberta da gravidez é um momento único na vida de uma mulher. Sabê-lo muda muitas coisas na sua vida e faz com que atos naturais – e que jamais tinham sido questionados – comecem a ser postos em causa pela futura mamã.

A alimentação é uma destas questões.

Se o senso comum dita que, de imediato, sejam banidos da alimentação “inimigos” como as bebidas alcoólicas e os alimentos processados; outros alimentos e bebidas não serão tão óbvios no momento da tomada de boas decisões à mesa.

Isto acontece por variadas razões.

Em primeiro lugar, pela presença de informação contraditória nos vários locais onde está disponível e, particularmente, na Internet.

Em segundo, pela perpetuação de mitos que insistem em vedar às gestantes alimentos que são, na realidade, bastante saudáveis e bons, quando consumidos com peso e medida.

Nesta última categoria entra, por exemplo, o mel, os frutos secos e também o pão.

Dizer que o pão é um mau alimento para a gestante é comum.

Assente na ideia de que os hidratos de carbono prejudicam a futura mamã, esta noção é redutora e tende a causar algum desconforto na gestante quando esta opta por ingerir este alimento.

A verdade é que, no caso do pão, generalizar pode constituir um erro. Existem vários tipos de pão que a gestante pode comer.

Saber quais serão melhores e piores para si irá, sem dúvida, ser uma mais-valia para a conquista de uma dieta mais saudável, saborosa e rica.

É por isso mesmo que, neste artigo, nos debruçaremos sobre o saboroso universo do pão, para descobrirmos as vantagens e os riscos associados a comer pão durante a gravidez e sabermos quais os melhores tipos de pão a comer durante a gestação.

Exposição de vários tipos de pães acabados de fazer

1. Tipos de pão e gravidez

Nós sabemos: o pão é, provavelmente, o rei dos alimentos de conforto.

Existe algo na sua textura, no sabor, na forma como convida outros alimentos a servir de complemento ou recheio que, pura e simplesmente, o torna mais apetecível.

Durante a gestação é muito provável que este alimento esteja na sua lista de desejos.

1.1. Pão de Trigo na gravidez

O pão de trigo, por exemplo, costuma ser um pão branquinho. Pode ser pão francês, pão de sal, pão australiano ou aquele tradicional “papo seco”, que todos degustamos com frequência.
Este pão é feito com farinha de trigo refinada e contem, por isso mesmo, um nível glicémico bastante elevado.

Apesar disto, algumas variantes deste pão, como é o caso do pão australiano, são feitos com farinha enriquecida, onde a gestante encontrará ferro e ácido fólico, dois dos mais importantes nutrientes durante a gestação.

É um alimento calórico e saboroso que irá traduzir a refeição numa sensação de conforto e saciedade.

Não é, no entanto, um alimento que possa ou deva ser consumido de forma excessiva e desregrada.

1.2. Pão de Centeio na gravidez

O pão de centeio é um alimento cujo índice calórico é ligeiramente inferior ao pão de trigo, sendo bastante rico em fibras e contendo pouca gordura na sua composição.

1.3. Pão de milho na gestação

O pão de milho é bastante peculiar, uma vez que apresenta, na sua composição muitos elementos importantes para a gestante.

Ferro, zinco, potássio, fósforo e fibras juntam-se, neste pão, a um sabor mais convidativo e intenso.

Esta opção será ainda muito interessante para as gestantes que sofram de intolerância ao glúten, uma vez que se adequam aos celíacos, devido à ausência de glúten no próprio milho.

1.4. Pão integral durante a gravidez

Embora nenhum dos tipos de pão referido esteja vedado às gestantes, devendo esta regrar, apenas, as quantidades inferidas, o maior aliado de uma gestante será o pão integral.

Pão integral sob fundo branco

Não sendo feitos a partir de farinha refinada, estes pães têm um baixo índice glicémico e fazem com que as suas calorias se transformem em longas horas de energia.

Não havendo perda da camada externa do grão, na farinha integral, ela transporta consigo inúmeros nutrientes.

Além disso, atualmente, este tipo de pão tem ganho uma nova visibilidade e começa a tomar formas distintas e para todos os gostos: desde o tradicional pão da padaria, passando pelo pão de forma e pelo pão caseiro.

Variantes oferecem ainda este tipo de pão enriquecido com cereais e frutos secos.

É comum encontrar opções nutritivas onde estão presentes as sementes de abóbora, as sementes de sésamo, as nozes, a linhaça ou a aveia.

Estas acrescentam novos benefícios a este alimento, já de si delicioso e rico, complementando-o com fibras, gorduras boas, ómega 3 e vitaminas.

O pão integral garante, por isso mesmo, a vitalidade e energia de que a mamã precisa durante a gravidez, ajudando ainda a regular o seu sistema digestivo e os seus intestinos.

Gestação e comer pão

2. Comer pão durante a gravidez: as quantidades

Claro! Por mais saudável que seja a sua escolha no que diz respeito ao pão, este será sempre um alimento calórico e rico em hidratos de carbono.

A ingestão destes hidratos é necessária e deve fazê-la diariamente. Ainda assim, o estabelecimento de um limite vai garantir que o alimento é positivo para a sua saúde em vez de nocivo.

Pode comer pão uma vez por dia (cerca de 80 gramas ). Torradas e tostas com darão excelentes pequenos-almoços ou lanches!

3. Pão e farinhas trangénicas

No que respeita aos medos da gestante, um dos mais comuns prende-se com o uso de farinhas trangénicas, isto é, com farinhas provenientes de ingredientes que tenham sido geneticamente modificados.

Estes medos têm, efetivamente, algum fundamento, uma vez que estes ingredientes podem ter efeitos tóxicos no ser humano, contribuindo para o aparecimento de inflamações, alergias e outros distúrbios fisiológicos.

Estes acontecem devido à quantidade de resíduos agrotóxicos que estes alimentos contêm.

Apesar de tudo isto, vale a pena salientar que, na farinha, a proporção destes ingredientes é mínima, não havendo muitos riscos associados.

4. Comer pão durante a gravidez e a ingestão de líquidos

Outra questão das mamãs é sobre a ingestão de líquidos para acompanhar o consumo de pão. No que diz respeito a esta questão, a verdade é que não existe uma resposta única.

Idealmente, a gestante deve sempre garantir a sua hidratação. Beber entre um litro e meio e dois litros de água por dia terá imensos benefícios para a saúde!

Beber água na gravidez

O que acontece quando esta ingestão se dá ao mesmo tempo que o pão é que este pode inchar no estômago e provocar uma sensação de inchaço e enfartamento.

Embora não tenha nenhum impacto na saúde da futura mamã, isto poderá causar desconforto, mal-estar e indesejados enjoos.

8. Recheios e mimos

Agora que sabe qual o pão que vai escolher, basta escolher o recheio!

As opções são infinitas e ficará feliz de saber que poderá, com segurança, avançar para elas.

 

saudável sandes em pão fresco com mel

 

Queijo, queijo fresco ( sempre pasteurizado) e manteigas magras (ou cremes vegetais) são opções saborosas e que poderá ter sempre em mente. Também a alface e o tomate (bem higienizados) são complementos extraordinários e saudáveis.

 

sandes vegetariana indicada para gestante

 

Se desejar, pode avançar para os doces, devendo ter o cuidado de não exagerar, uma vez que estes contêm açucares de absorção rápida.

Contribuindo para a saúde da gestante, o consumo de pão pode, portanto, ajudar a promover a energia de que a futura mamã tanto precisa, ao mesmo tempo que ajuda a evitar a prisão de ventre, a controlar o seu colesterol e a dar-lhe uma sensação de conforto e saciedade.

Comeu pão durante a sua gravidez? Qual era o seu favorito? Não deixe de nos contar como foi a sua relação com este alimento durante a gestação!

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo