Comer laranja na gravidez, faz bem ou não?

Laranja na gravidez

Durante a gravidez, a nutrição é muito importante para manter a mamã e o bebé saudáveis.

A preocupação das gestantes com a nutrição faz com que, ao longo desta fase da sua vida, sejam muitas as dúvidas a surgir.

Alimentos como o mel ou a tapioca juntam-se a bebidas como os refrigerantes ou a água com gás, num verdadeiro rodopio de perguntas sobre o que se pode ou não ingerir durante a gravidez.

No que respeita aos frutos, já conhecemos algumas das frutas essenciais durante a gestação, explorando um pouco dos benefícios que cada uma trará à saúde da futura mamã.

Um dos frutos que demos a conhecer nessa altura foi a laranja… e, entre os outros, este foi um dos que levantou mais questões.

Fruta de sabor intenso, ácido e agradável, recheada de nutrientes essenciais, a laranja é, sem dúvida, um alimento muito especial.

Ainda assim, é também um fruto que suscita medos entre as gestantes, já que o seu consumo tem sido, ao longo dos séculos, associado a diversos mitos que, hoje, queremos esclarecer.

Acompanhe-nos para saber tudo sobre a laranja na gravidez.

comer laranja na gravidez

1. Laranja na gravidez – Medo ancorado no mito

“Laranja: de manhã é ouro; à tarde, prata; à noite mata!”.

Em Portugal, este provérbio passou, de pais para filhos, pela oralidade, ao longo dos tempos.

Chega-nos, assustador… e faz com que muitas futuras mamãs ganhem medo de um dos seus grandes aliados na gestação.

Este provérbio prendia-se, pois, com a noção de que, sendo um fruto que promovia a energia e ajudava a reduzir o cansaço, esta era uma fruta fantástica para as manhãs… mas passaria a ser nociva ao longo do dia, já que poderia levar à agitação ou mesmo à insónia, quando consumida à noite.

Desta ideia passou-se, depressa, à ideia de que a laranja fazia mal à noite e que poderia “matar”.

Este é, de facto, um mito!

Se, por um lado, a laranja ajuda na vitalidade e na energia de quem a consome, por outro não existe qualquer dado científico que comprove que o seu consumo (em qualquer horário) leve à insónia ou a qualquer outro problema de saúde.

Se, ainda assim, a susceptibilidade ao mito não lhe permitir superar os medos e comer laranja no final do dia, recomendamos que o faça pela manhã para gozar dos seus muitos benefícios.

A laranja é um fruto rico em vitamina C

2. Laranja na gestação: um aliado

Durante toda a vida, a laranja é um fruto cujo consumo é altamente recomendado.

Sendo 90% da sua composição formada por água, este fruto cítrico é suculento e contém nutrientes fabulosos ara ajudar a regular o organismo humano.

Na gestação, a sua ação reguladora ultrapassa as barreiras do corpo da mamã e pode ajudar, também, no próprio desenvolvimento do feto.

O primeiro elemento da laranja a ajudar a futura mamã – e provavelmente que mais rapidamente se associa a este fruto – é a vitamina C.

Esta vitamina está muito ligada à prevenção e tratamento de infeções e gripes, pelo seu papel ativo no fortalecimento do sistema imunológico.

Além disto, no entanto, durante a gestação, as vantagens trazidas pela vitamina C irão muito além disto.

Esta vitamina irá, pois, ajudar na fixação do cálcio e, assim, dar maior resistência à estrutura óssea e dentária; agir como um antioxidante natural e ainda facilitar a absorção do ferro no organismo da mamã, evitando situações desagradáveis como as anemias.

Além da vitamina C, no entanto, a laranja contém outros nutrientes igualmente importantes.

As vitaminas do complexo B, a vitamina A, o cálcio, o potássio, os polifenóis e as fibras fazem, também, parte da sua composição.

A estes, junta-se ainda fitonutrientes como as antocianinas ou as flavonas.

3. Benefícios do consumo de laranja na gravidez

Com os referidos nutrientes, a laranja ajudará, de várias formas, a melhorar a sua saúde e a fase gestacional.

Entre os principais benefícios deste consumo encontram-se os seguintes:

3.1. Hidratação

– Uma pele hidratada é um dos benefícios do consumo deste fruto.

Rico em água e com a capacidade de regenerar a pele, esta fruta apoia a formação de colagénio e faz com que a hidratação da pele seja melhor.

Além de mais bonita, uma pele hidratada terá menos tendência para a formação de estrias durante a gestação;

3.2. Regulação intestinal

– A presença das fibras na laranja fazem com que esta atue na regulação do sistema gastrointestinal, ajudando a prevenir e tratar a obstipação e evitando, assim, o desconforto da prisão de ventre e problemas que advém desta condição, como as hemorróidas gestacionais;

3.3. Diminuição dos enjoos e da azia

– Enjoos e azia são queixas frequentes das futuras mamãs, às quais a laranja irá responder.

Nos lanches entre as maiores refeições, esta fruta poderá ajudar a reduzir os enjoos, sendo que o magnésio que contém na sua composição age, ainda, como um analgésico natural no estômago.

3.4. Prevenção da diabetes gestacional

– Quando consumido com moderação, este fruto pode ajudar a combater a diabetes, devido às fibras presentes na sua polpa.

É, no entanto, necessário ter cuidado com o açúcar presente no seu sumo, já que pode elevar a glicemia, principalmente se consumido de forma desregrada;

3.5. Promoção da limpeza orgânica

– Os antioxidantes presentes neste fruto ajudam a “limpar” o organismo, o que previne diversas doenças cardíacas e vasculares; e ajuda ainda a optimizar o funcionamento do organismo, libertando-o de toxinas indesejadas.

O consumo de laranja na gravidez é, por isso, bastante positivo na gestação mas, como em todos os alimentos, deve recordar-se de que a moderação é uma palavra-chave para conseguir usufruir apenas do melhor.

No caso da laranja, sendo que este é um fruto bastante rico em açúcar, a dose diária recomendada será de uma laranja por dia, sendo preferível comer a laranja (ao natural) do que beber apenas o seu sumo, já que a polpa contém grande parte dos nutrientes.

Comeu laranja durante a gestação? Como gostava de ingerir este fruto?

Conte-nos como é que a laranja integrou a sua alimentação na gravidez.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo