Bebé com Papeira, saiba tudo sobre a Caxumba

O bebé com papeira (ou caxumba) cria diversas preocupações nas suas mamãs. Mas sabe em que consiste a caxumba? Venha saber tudo o que precisa sobre o bebé com papeira, bem como as formas de diagnóstico, tratamento e prevenção desta doença, com o Bebé a Bordo.

Um bebé doente é sempre uma grande preocupação para os seus pais. Independentemente de se tratar de uma doença severa ou apenas de uma constipação, a verdade é que, olhando para a fragilidade de um filho pequeno, nada ameniza os medos e cuidados de uma mamã.

Desta forma, muitas questões são levantadas na primeira infância, por estas mães que querem garantir um bebé saudável. Nascem, assim, muitas perguntas sobre como se pode saber se o bebé tem “pé chato” ou como se pode lidar com um bebé com febre.

Ainda assim, como sabe, as doenças são comuns, mesmo entre os bebés. Com maior ou menor incidência, consoante o topo de efemeridade; a verdade é que os bebés não estão livres de ficarem doença.

Muito comum no passado e bastante menos usual desde a criação da vacina, a papeira – também conhecida como caxumba – é uma das doenças que ainda cria medos e dúvidas nas mamãs.

Hoje, é sobre esta questão que vamos debruçar-nos, para levar até si todos os conhecimentos necessários sobre o bebé com papeira. Se quer saber mais sobre esta doença, venha conhecê-la no artigo que se segue.

1. O que é a papeira? Bebé com Papeira

A papeira, como é mais frequentemente conhecida, é uma doença vírica para a qual existe, já, uma vacina. Esta doença é também conhecida como parotidite epidérmica ou caxumba.

Provocada por um Paramixovírus, esta doença não tem uma época específica do ano para acontecer e pode levar algumas semanas até que seja tratada.

No geral, esta doença manifesta-se através da inflamação das glândulas parótidas. Isto pode ser observado mediante o aparecimento de um inchaço na região sob as orelhas. Pode atingir apenas um ou os dois lados do rosto, atingindo uma ou as duas glândulas parótidas.

Quais as causas da papeira?

Entre as principais causas do aparecimento da caxumba encontra-se o contacto com objetos ou locais contaminados e o contacto com pessoas. A disseminação por via humana acontece, por norma, através da saliva, e de manifestações como tosse ou espirros.


Trata-se de uma doença contagiosa?

Sim! O bebé com papeira terá, possivelmente, contraído esta doença pelo contacto com alguém contaminado. Esta doença é, por isso, particularmente alarmante para crianças que integraram já os ambientes partilhados de escolas ou de creches.

A contaminação é feita por via respiratória e o período mais provável para contágio acontece nas 48 horas que precedem o aparecimento de um dos principais sintomas – o inchaço das glândulas.

Desta forma, recomenda-se que o bebé com papeira se mantenha em casa, sem frequentar a creche, durante nove dias depois do começo do inchaço da(s) glândula(s) parótida(s). Durante este período, a criança não terá de estar isolada da sua família, embora não seja conveniente o contacto com mulheres grávidas.

Quais são os sintomas do bebé com papeira?

O bebé com papeira costuma apresentar sintomas como febres, dores de cabeça, fadiga, fraqueza, dores musculares, dificuldades em comer, dor ao engolir, mal-estar, falta de apetite e/ou inchaço nas glândulas salivares. A manifestação destes sintomas, quando ocorrem, tende a dar-se cerca de 15 dias após o contacto com o vírus.

Ainda assim, dados clínicos referem que, entre 15% e 20% das pessoas afetadas pela caxumba, não apresentam quaisquer sintomas.

O que fazer perante o bebé com caxumba?

Perante os sinais de que possa ter um bebé com papeira, é essencial que o seu filho seja levado ao médico para que seja comprovado o diagnóstico. Este diagnóstico é confirmado através da realização de exames e análises laboratoriais.

Como prevenir a papeira?

A prevenção da caxumba é a melhor forma de garantir a segurança do seu filho. Assim, para evitar um bebé com papeira, deve garantir que toma algumas medidas.

Em primeiro lugar, caso exista alguém doente no seu lar, é importante que os cuidados de higiene sejam realizados, mediante a lavagem e desinfeção das mãos. O contacto do bebé com a pessoa em questão ou com objetos que tenham estado expostos ao vírus devem ser evitados.

Sob nenhuma situação a mãe deverá tentar medicar a criança pela avaliação a solo dos seus sintomas, devendo, em vez disso, isolá-la de outras crianças por alguns dias e consultar um especialista de saúde.

A vacina é o último e o principal método de prevenção da papeira, estando a mesma prevista pelo Plano Nacional de Vacinação. Por norma, esta vacina é tomada pelos 5 anos de idade, antes da criança entrar para a escola.


Perante um bebé com papeira, quais as formas de tratamento?

Não existe um tratamento específico para a papeira, sendo esta a principal razão pela qual a vacinação é tão importante. A um bebé com papeira será, por norma, recomendado o isolamento das restantes crianças e o repouso, tentando fazer-se medicação que promova o alívio dos sintomas.

Quando não é devidamente cuidada, esta situação pode degenerar em situações e condições de saúde muito perigosas para o bebé, como o inchaço do cérebro ou mesmo meningite.

Já conhecia a caxumba? Alguma vez se viu numa situação em que precisou de tratar um bebé com papeira? Conte a sua experiência às restantes leitoras do Bebé a Bordo.

Algumas fontes: saudecuf mayoclinic br.guiainfantil minhavida healthline

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo